NEWSLETTER

Email:
Telefone:
 

ENQUETE

(Abril/2017) Qual o seu interesse neste site?

Sou hidroponista, busco mais conhecimento na área

Sou produtor convencional, quero migrar para a Hidroponia

Sou empresário/fornecedor, quero investir no setor

Sou consumidor, quero informações

Outro objetivo? Comente pelo e-mail redacao@revistahidroponia.com.br
















































































NOTÍCIAS


Apae de Goiânia terá horta hidropônica

Iniciativa do Crea-GO é fazer com que os pacientes da instituição aprendam a produzir alimentos por meio da técnica

09/03/2017


O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (Crea-GO) vai implantar, neste mês, uma horta hidropônica  no Complexo II da Associação de Pais e Mestres (Apae), localizado no bairro Jardim Goiás, na Região Sul de Goiânia. O Crea-GO se comprometeu em doar os materiais para a montagem e ainda orientar os responsáveis pela manutenção da horta, cuja produção servirá para a alimentação dos membros da associação.

A estrutura física da horta hidropônica consiste em dois tubos de PVC de 100 milímetros, uma caixa d’água e uma bomba de aquário (30w), apoiadas no muro, além de uma cobertura de plástico agrícola, que pode ser substituída por telhas transparentes. São 12 metros de tubo que permitem o cultivo de 40 mudas.

A proposta é que os pacientes da Apae aprendam a produzir alimentos por meio da Hidroponia. Eles vão cultivar hortaliças como alface, rúcula, chicória, almeirão, agrião, cebolinha, salsa, coentro, manjericão e hortelã. “Vamos aproveitar a ideia para ensinar a produção hidropônica, para que os alunos da associação possam ser contratados para implantarem as hortas”, destaca o presidente da Apae-GO, Albanir Pereira Santana.

A iniciativa faz parte do projeto “Horta Sustentável”, do Crea-GO, que pretende levar o cultivo sem solo para outras instituições e empresas do Estado, conforme o presidente do conselho, engenheiro agrônomo Francisco Almeida. “O projeto tem o objetivo de incentivar a produção com a técnica da Hidroponia em residências, empresas, canteiros de obras, creches, escolas, entidades filantrópicas, hospitais públicos e demais lugares onde haja um agrupamento de pessoas que façam refeições no local”, explica Almeida.

O dirigente lembra que o projeto “Horta Sustentável” também conta com uma cartilha explicativa que orienta sobre o que cultivar, os modelos de instalações sugeridos, relação de materiais necessários, tipos de cobertura e a escolha adequada do local para receber a instalação hidropônica. O lançamento oficial deverá ocorrer em abril. “Pretendemos firmar parcerias com empresários para implantar o projeto em todo o Estado de Goiás”, salienta Almeida. No entanto, o nome das entidades parceiras ainda não foi definido.   

Vantagens do cultivo sem solo

O Crea-GO tem a sua própria horta hidropônica desde março do  ano passado. O projeto, que foi desenvolvido pelo engenheiro agrônomo Ariston Alves Afonso e pelo engenheiro civil Hugo Vandré Rios, assessores técnicos do Regional goiano, é demonstrativo e tem como objetivo principal incentivar a produção hidropônica. A produção do Crea, que conta com mudas de cebolinha, salsa, coentro, alface, almeirão, chicória, hortelã, manjericão e rúcula, é usada na alimentação dos colaboradores que almoçam na sede do conselho.

No cultivo hidropônico, o solo é substituído por uma solução nutritiva, na qual estão contidos todos os nutrientes essenciais ao desenvolvimento das plantas. O resultado é uma planta mais forte e sadia, preservando sua qualidade nutricional. A técnica “apresenta várias vantagens em relação às formas de cultivo tradicionais, como o crescimento mais rápido, maior produtividade, aumento da proteção da planta contra o ataque de pragas e doenças, possibilidade de plantio fora de época e menores riscos ante as diversidades climáticas”, enumera Afonso.

O agrônomo ainda destaca as vantagens do uso da Hidroponia em plantios comerciais, como o reduzido uso de água e de energia elétrica, além da redução da mão de obra, economia de fertilizantes e defensivos agrícolas, bem como o menor uso de espaço físico. “A plantação hidropônica também não depende da qualidade do solo e não contamina o ambiente com produtos químicos e orgânicos”, aponta.

Mesmo que a técnica tenha um investimento relativamente elevado, já que exige estruturas mais complexas, como o nivelamento dos terrenos e casas de vegetação, como explica Ariston, a Hidroponia pode ser uma alternativa para aqueles que pretendem produzir suas próprias verduras em casa. “Em um espaço de apenas 16 metros quadrados é possível montar uma estrutura para produção hidropônica e obter vegetais para o consumo de uma família e ainda distribuir para os amigos e vizinhos, com alta sanidade, livre de produtos químicos, de coliformes fecais, bactérias, como a salmonela, e de ovos de patógenos, como a tênia ou os áscaris”, afirma. O engenheiro ainda completa que os custos operacionais de uma horta hidropônica caseira são mínimos e o tempo a ser dedicado à plantação não passa de duas horas semanais.



NOTÍCIAS RELACIONADAS